Dia do Orgulho LGBTQIA+: saiba a importância do termo

Em todo o mundo se comemora o Orgulho LGBTQIA+, nesta terça-feira (28), a data tem como objetivo combater o preconceito de todos os tipos contra a comunidade. Porém, ainda há uma longa estrada para percorrer quando falamos de ambientes corporativos livres de preconceito. 

Cerca de 20 milhões de brasileiras e brasileiros —  cerca de 10% da população —, se identificam como pessoas LGBTQIA+, de acordo com a Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT).

  • Destes 20 milhões, por volta de 92,5% dessas pessoas relataram o aumento da violência contra a comunidade.

Felizmente, com a abertura para discussões sobre a importância da diversidade nas organizações, o papo começa a mudar. 

O ambiente corporativo realmente apoia a causa LGBTQIA+? 

É certo que você já deve ter se deparado com não apenas uma, mas várias empresas que fazem posts sobre o orgulho LGBTQIA+, sem ao menos incentivar a prática da diversidade por trás do hype

  • Mas será que existem mesmo corporações que fazem a lição de casa?

Itaú, Ford e Salesforce são exemplos de companhias com ações afirmativas na área da diversidade sexual e de gênero, com adaptação de processos e políticas. 

O banco patrocinou por dois anos um edital que valoriza projetos na áerea da diversidade secual de geneero, oferencendo uma proposta de R$ 200 mil.

A Ford possui um Comitê de Diversidade e em paralelo, durante o mês de junho coordena atividades como conversas e painéis virtuais, com um canal de denúncia para casos de preconceito.

Enquanto a empresa de tecnologia norte-americana, Salesforce, busca divulgar dados sobre contendo um diagnóstico como mulheres e minorias sub-representadas contratadas ou promovidas, que está disponível online,

Claro que ainda temos muito o que progredir, mas com baby steps podemos chegar perto de uma sociedade igual para todos.

A representativa gay é um executivo poderoso

Talvez você não saiba, mas alguns dos heads mais poderosos de empresas como PayPal e Apple são homens gays. 

Tim Cook foi CEO da Apple em 2011 e eleito o gay mais poderoso em um ranking de 50 pessoas da americana Out.

Além disso, Peter Thiel, criador do PayPal e dos principais acionistas do Facebook, está entre os homens mais ricos do mundo, segundo a revista Forbes. 

O One Shortcut repudia qualquer forma de preconceito com a causa LGBTQIA+, esperamos um dia dizer que a igualdade venceu o ódio.

Você também pode gostar de...