De cabeça no metaverso: Mastercard registra 15 marcas comerciais ligadas a cripto

de-cabeca-no-metaverso-Mastercard-registra-15-marcas-comerciais-ligadas-a-cripto.jpg

Junto com a Visa e American Express, a Mastercard busca se manter competitiva na economia virtual. Durante a semana passada, a empresa entrou com 15 pedidos de registro de marcas ligadas a criptomoedas, tokens não fungíveis (NFTs) e metaverso.

Além disso, os registros envolvem planos para uma comunidade virtual inteira com ativos digitais, pagamentos no metaverso, aplicação para criação de NFT´s , eventos de realidade virtual, como também a comercialização de criptoativos, como um todo.

Metaverso em ascensão? Entenda mais sobre a tacada de mestre da Mastercard!

O que esses registros indicam?

Primeiramente é bom ressaltar que essas empresas de cartão de crédito tomaram diversas iniciativas para se manterem competitivas na economia virtual. Mastercard e Visa já mexeram seus pauzinhos.

Enquanto a Mastercard criou um programa de três meses, intitulado Start Path Crypto, para ajudar startups de blockchain e criptomoedas a escalar seus negócios, a Visa também lançou seu próprio Creator Program, para orientar empreendedores sobre NFTs para expandir seus pequenos negócios.

Também foi divulgado uma patente adicionar ao nome da marca Mastercard que envolve eventos culturais e esportivos, festivais, eventos culturais, assim como seminários e programas de educação financeira

Os pedidos para registro de marca da Mastercard acontecem pouco tempo depois do Meta, falecido Facebook, ter entrado com oito pedidos para registro de marca de tokens, carteiras e corretoras cripto.

Em janeiro deste ano, a Mastercard começou uma parceria promissora com a corretora estadunidense Coinbase (COIN) para oferecer vários serviços ligados ao mercado cripto.

Nesse sentido, esse acordo prevê a possibilidade de compra de NFTs com cartões Mastercard em uma futura plataforma de tokens da corretora.

Mas ela é a única grande empresa de fintech que está solicitando marcas registradas de NFT ou metaverso, outras empresas do mesmo ramo não ficam para trás.

A Visa e a American Express enviaram seus próprios registros USPTO relacionados a criptomoedas.

Sinta o Metaverso

O metaverso não é uma notícia tão nova quanto parece. Esse conceito é uma realidade paralela que acontece em um mundo virtual.

Ele foi popularizado após a troca de nome do Facebook para o Meta com a ideia do querido tio Zucke em trabalhar com expandir o metaverso em seus negócios.

Nele, é possível ter um avatar e efetuar diversas atividades, como comprar em lojas, ir a shows e interagir com outras pessoas.

Tudo se baseia na ideia de realidade virtual, como divulgado diversas vezes por Zuckerberg em suas redes sociais, só que agora com a criação do seu próprio mundo virtual.

Assim, a entrada de empresas nesse mundo virtual impulsiona os investimentos ligados à economia virtual.

As perspectivas para esse setor não tem data para acabar, apenas o Facebook já investiu mais de 10 bilhões nessa nova forma de negócio. Essa brincadeira não sai nada barata, hein?

Você também pode gostar de...