Avanço para o metaverso: Louis Vuitton lança concurso que premia em NFTs

Louis-Vuitton-NTF

Nem só de artigos de grife vive a Louis Vuitton! (risos). Uma das gigantes marcas de luxo está investindo cada vez mais no seu relacionamento com os clientes no mundo virtual.

O anúncio foi feito na última semana e seu lançamento vai integrar o aplicativo da marca “Louis: The Game”, fique com a gente para entender como e porque a marca das bolsas mais desejadas e caras do mundo investe em NFTs.

O joguinho da Louis Vuitton tá com tudo?

As bolsas da marca se tornaram uma das mais famosas e atemporais, mas esse sucesso durante todos esses anos não foi à toa.

Fundada em 1854, a Louis Vuitton precisou estar sempre se reinventando com o passar do anos, de forma a entender as novas tecnologias e o desejo de seus clientes.

O game da marca proporciona aos jogadores entrarem em um mundo customizado pelo usuário, com avatar intitulado Vivienne. Nele serão coletados cartões postais que contam um pouco sobre os 200 anos de história da marca, como detalhes sobre a vida do fundador da marca e seus produtos.

Na verdade, a sua intenção é atrair um público mais jovem e de alto padrão para conhecer os produtos da marca, ao mesmo tempo que os educa sobre sua trajetória.

Foi assim que veio o lançamento do seu aplicativo “Louis: The Game”, ainda em 2021, como uma forma da Louis Vuitton mostrar ao público que seu diferencial não está apenas nos produtos.

Durante a segunda semana de abril, em parceria com a Wenew Labs, a empresa pretende distribuir NFTs gratuitamente para os usuários do jogo mobile que mais coletarem itens dentro do jogo.

Segundo a Vogue Business, serão disponibilizados 10 tokens não fungíveis sorteados entre os mais bem colocados em um ranking, que estará disponível até 4 de agosto.

Quem é a Wenew Labs e por que querer ser seu amigo?

A parceria da Louis Vuitton com a Wenew Labs não foi de bobeira, afinal, esse é um nome de peso no mundo dos NFTs.

Isso porque, o artista Beeple é responsável pelo segundo NFT mais caro do mundo, vendido em março de 2021 por US $69,3 milhões.

Nesse sentido, Beeple juntinho com a Wenew Labs auxiliou no desenvolvimento dos NFTs que retratam o ambiente do jogo virtual da marca de bolsas caras.

O objetivo é criar um antropomorfismo do famoso monograma da empresa.

A personagem Vivienne desfila uma série de looks da marca e pode ser utilizada como avatar nas redes sociais, modelo que se tornou uma tendência mundial após o sucesso de coleções como Bored Ape Yacht Club e World of Women.

NFT e moda

Após mais de 2 milhões de downloads, o aplicativo faz sucesso por se utilizar de uma estratégia de marketing diferente de seus concorrentes.

Desse modo, a Louis Vuitton opta por não precificar seus itens virtuais por enquanto, preferindo o engajamento do público jovem e reconhecimento de marca para fornecer uma experiência mais controlada a seus usuários.

O que geralmente não acontece com o comércio de luxo e itens exclusivos, característicos de marcas como Dolce & Gabbana.

E quais os impactos dessa história toda?

Ora meu jovem, se liga nos dados que separamos:

  • Estima-se que a geração Z pode gastar até US $143 bilhões em marcas de luxo, o potencial dos baixinhos não é brincadeira!
  • O metaverso pode se tornar uma oportunidade de negócio de US $800 bilhões, o que não chama atenção apenas de marcas de luxo.
  • O primeiro Fashion Week do metaverso foi feito com marcas como Forever 21 com eventos exclusivos.

Apesar de tudo, é bom seguir o que disse Bernard Arnault em entrevista para a Vogue Business e ser cauteloso com a bolha do metaverso.

Você também pode gostar de...