Bolsonaro na assembleia-geral da ONU. Entenda todo o discurso de 20 minutos em menos de 1 minuto.

Bolsonaro fundamenta seu discurso no que ele chama de divisor de águas, o que para nos foi uma maneira bonitinha de chamar nosso momento geopolítico com:

  • Guerra na Ucrânia;
  • Inflações nunca vistas por todo o globo;
  • Crise de saúde mundial
  • Crise de mão de obra e de suprimento mundial;
  • Disputas territoriais — Grécia/Turquia, Armênia/Arjebajão e Taiwan/China.

De dentro pra fora

Bolsonaro afirmou tratar os assuntos externos com a autoridade e embasamento que tem por (na sua visão) bem sucedidas medidas feitas internamente no seu governo. Nesse momento ele destacou dentre os sucessos do seu governo:

  • As medidas contra o COVID19, incluindo vacinação, auxilio e tratativas econômicas.
  • Crescimento econômico do país.
  • Combate a corrupção.
  • Preservação da floresta amazônica.
  • Auxilio para mulheres e redução nos números de feminicídio.
  • Expansão de exportações agrícolas.
  • Digitalização da população.
  • Redução no número de pessoas abaixo da linha da pobreza.
  • Preservação dos povos nativos.
  • Defesa a liberdade de expressão.

Sobre a guerra da Ucrânia

Bolsonaro teve uma abordagem ambígua que onde usou o termo “operações russas na Ucrânia” mostrando de certa forma uma minimização do conflito que pode, sim, ser interpretada como apoio a Rússia. Por outro lado, ele também defendeu a paz e afirmou que o dialogo é importante para encerrar o conflito, colocando como solução algum tipo de negociação entre os dois países. Além disso, Bolsonaro destacou sua oposição as sanções impostas a Rússia e reforçou a parceria econômica entre os dois países, principalmente na parte agrícola.

Fechamento

O encerramento do discurso foi reforçando a ação patriota do 7 de setembro e de certa forma se manifestando contra o ex presidente Lula, que atacou fortemente as comemorações e pronunciamentos feitos na data.

Opinião

Esquerda:

O discurso parece ser mais próximo de uma ida a Disney, trazendo dados mentirosos e engrandecendo muito ações do governo que foram uma verdadeira catástrofe, como o combate ao Covid. Além disso, o presidente trouxe novamente um discurso mais voltado para a sua reeleição do que para os interesses do país no cenário internacional.

Direita

Bolsonaro mais uma vez acertou muito em seu discurso, destacando o Brasil enquanto potencia econômica que é e não se rebaixando as grandes potências. Assim como em todos os discursos, o presidente destacou seus acertos não tentando a reeleição, mas sim, mostrando o crescimento do Brasil em relação ao resto do mundo.

One

É normal que, em todo discurso próximo as eleições, os presidentes na tentativa de se reelegerem tentem sempre destacar os pontos fortes de seus governos. No entanto, alguns pontos tiveram sim algum exagero, o que dependendo da interpretação pode nós dar fama de mentirosos. Risos.
Do outro lado, achamos um grande acerto do presidente se manter de certa forma ao lado da Rússia a respeito da guerra, tendo em vista que dependemos de seus suprimentos agrícolas.

Você também pode gostar de...