Contando carneirinhos: Luuna chega ao Brasil para brigar no segmento bed in box

Nem só de tecnologia e finanças se fazem unicórnios! O sono também consegue produzir startups altamente rentáveis e até unicórnios. Exemplo disso e a Luuna, que já fatura mais de R$ 300 milhões, e acaba de chegar no Brasil para lutar no segmento de bed in box. A Emma que se cuide!

Behind the scenes…

O mercado de colchões, um dos mais tradicionais do país, já vem tomando um belo sacode das startups ha algum tempo, mas o jogo ficou ainda mais tenso para a velha guarda com a chegada das famosas bed in box(cama na caixa).

Por que isso é tão importante?

Pra explicar vamos ter que entrar em outro segmento, o logístico. Para se calcular o custo de uma entrega existem algumas variáveis que as transportadoras usam:

  • Distância entre o ponto de origem e o local de entrega, essa é básica, quanto maior a distância mais combustível vai ser gasto, ou seja, preços salgadinhos de frete.
  • Preço do produto na nota fiscal: essa variável nem todas as frentes consideram, mas em grande maioria, as empresas usam esse dado para calcular o risco e o seguro da mercadoria.
  • Peso da mercadoria: O peso é o fator que ajuda a determinar a quantidade de combustível que precisa ser usado no transporte e, além disso, no existem nas rodovias limites de quilos por carga.
  • Cubagem: Esse era o ponto onde queríamos chegar. Aqui entram as dimensões do produto e vocês vão entender porque isso é tão importante…

A inovação:

A Luuna e suas concorrentes criaram uma solução que une material de primeira linha com uma tecnologia que envolve compressão e embalagem a vácuo, os colchões são reduzidos a um quinto do tamanho original e facilmente carregados em caixas com 1 metro de altura.

É claro que isso reduz e muito o valor do frete, eliminando de vez o benefício do cliente comprar o produto em lojas físicas. Novamente, a vanguarda dos colchões que se cuide!

Sobre Luuna

Luuna chega em um ambiente onde existem poucas concorrentes, diferente do cenário americano onde ela também já se aventurou. Desde o início do negócio a empresa já vendeu mais de 500 mil colchões e fatura mais de R$ 300 milhões por ano.

Embora seja uma marca digital, a Luuna também aposta no varejo físico para crescer e, ao todo, conta com 40 lojas próprias, além de parceiros que revendem os colchões. E por aqui não vai ser diferente.

Embora esteja operando, atualmente, apenas com o site próprio a ideia é que, em breve, os colchões Luuna também estejam nos principais marketplaces. E, até o final do ano, a primeira loja no Brasil seja inaugurada. 

Zoom In: Mesmo com cada vez mais competidores, que também brigam pelo sono dos brasileiros, a Luuna tem metas ambiciosas. A startup pretende chegar a dezembro com 100 funcionários no Brasil e, ainda em 2023, faturar mais de R$ 100 milhões. 

Você também pode gostar de...